sexta-feira, 4 de agosto de 2017

The Witcher 3: Wild Hunt - Tudo Sobre o Jogo

The Witcher 3: Wild Hunt é um jogo eletrônico de ação do gênero RPG desenvolvido pela CD Projekt RED e lançado no dia 19 de maio de 2015[1] para as plataformas Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One, sendo o terceiro título da série de jogos The Witcher. Ele sucede The Witcher (2007) e The Witcher 2: Assassins of Kings (2011), que foram baseados na série de livros de fantasia Wiedźmin, do escritor polonês Andrzej Sapkowski.

Ambientado em um gigantesco cenário medieval que dá liberdade total ao jogador, o game, que possui uma jogabilidade não linear e é jogado através de uma perspectiva em terceira pessoa, tem o lendário bruxo Geralt de Rívia como seu protagonista, o qual inicia uma longa jornada pelos Reinos do Norte. Enquanto a ordem planetária enfrenta uma grande mudança, com o misterioso e macabro exército de cavaleiros vermelhos conhecido como a "Caçada Selvagem" deixando somente sangue e ruína por onde passa, o jogador terá de enfrentar diversos perigos usando espadas e magia num mundo em crise à medida que interage com outros personagens e completa missões para o progresso da história, podendo viajar a pé, a barco, ou montado em Carpeado, o cavalo inseparável de Geralt.

The Witcher 3: Wild Hunt foi amplamente aclamado pela crítica, com alguns considerando-no como um dos melhores jogos de todos os tempos. Sua consagração veio na noite de 3 de dezembro de 2015, quando foi galardoado com o grande prêmio de Jogo do Ano na cerimônia de condecoração The Game Awards, considerada a mais importante e prestigiada do ramo dos videogames. O game, além de ter se tornado o mais premiado da história, com 254 prêmios de múltiplas publicações e eventos recebidos apenas na categoria de melhor jogo, também foi um sucesso financeiro, tendo vendido cerca de 10 milhões de cópias ao redor do globo. Dois pacotes de expansão intitulados Hearts of Stone e Blood and Wine ainda foram lançados para o jogo, com ambos recebendo igualmente aclamação geral da crítica especializada.

0 comentários:

Postar um comentário